Rituais

Para lá do horizonte
Data/Hora: 17 fev 2019 11:47

Os Horários são TMG [ DST ]




Criar Novo Tópico Responder a este Tópico  [ 1 Mensagem ] 
Autor Mensagem
MensagemEnviado: 27 set 2006 15:02 
Desligado
Membros
Avatar do Utilizador

Registado: 01 jan 2006 23:20
Mensagens: 17
Localização: Lisboa/Portugal
Manutenção de Jipes - Óleos Lubrificantes

É função deste texto, elucidar e esclarecer quanto a tipos de óleos lubrificantes e sua aplicação nos nossos motores.

Antes de mais, convém esclarecer o papel do óleo lubrificante, neste caso específico, no motor:

:arrow: Lubrificação - a principal função de um óleo é o de lubrificar, criando para isso uma película fina entre componentes metálicos por forma a evitar (ou reduzir substancialmente) o atrito.
:arrow: Refrigeração - o óleo serve também, através de uma transferência de calor, como meio de escoar o calor dos diversos componentes mecânicos.
:arrow: Limpeza - através de detergentes adicionados ao óleo, este mantém o motor limpo de diversas impurezas (sejam partículas metálicas, carvões, etc).
:arrow: Anti-corrosão - mais uma vez, através de aditivos anti-corrosivos e anti-desgaste, o óleo mantém o motor "limpo" por dentro, evitando corrosão.

Tudo isto em termos gerais, agora vamos especificar o tipo de óleo, a viscosidade (SAE) e a aditivação (API):

Existem 3 tipos de óleos: sintéticos, semi-sintéticos e minerais. O óleo mineral é extraído "directamente" do petróleo, enquanto que o óleo sintético é produzido em laboratório. A diferença entre estes, consiste nos aditivos utilizados, em que o sintético prolonga a vida do motor e permite retirar mais rendimento do mesmo. A extensão de vida do motor é facilmente explicada pela maior lubrificação e desempenho deste tipo de óleos (sintéticos), diminuindo o atrito entre peças móveis, transformando assim, a energia que se perdia em forma de calor, por ganhos em energia mecânica (daí a obtensão de melhor rendimento do motor). Por outro lado, o semi-sintético é uma mistura dos dois anteriores, tendo um desempenho intermédio.

Outro critério de diferenciação é a viscosidade. Baseado no critério SAE (Society of Automotive Engineers), distingue a viscosidade dos óleos, por outras palavras, a sua maior ou menor fluidez. É importante referir que a viscosidade de um óleo varia consoante a temperatura. Assim sendo a viscosidade diminui com o aumento de temperatura, facilitando o seu escoamento. Dando-se exactamente o contrário quando a temperatura baixa, a viscosidade aumenta, dificultando o seu escoamento.
A viscosidade é muito importante, pois toca os dois lados da questão, ou seja, o arranque a frio e o funcionamento no regime de temperatura normal. No arranque a frio, se o óleo é muito espesso, vai demorar muito tempo a chegar a todos os lados dentro do motor fazendo com que não se efectue uma correcta lubrificação, aumentando assim o atrito entre peças móveis do motor, consequentemente aumentando o desgaste prematuro do motor.
Por outro lado, um óleo com baixa viscosidade a alta temperatura pode-se revelar muito fino, acabando por penetrar na câmara de combustão, dando uma quebra na pressão do óleo.
A classificação SAE para óleos lubrificantes vai de 0W a 25W, significando o "W" - winter, este primeiro número representa as características de viscosidade do óleo a baixas temperaturas. O segundo número, que varia de 20 a 60, representa as características de viscosidade do óleo a 100ºC.

:twisted: BOCAS:
Vou aproveitar agora para especificar dois óleos que foram apontados e diferenciá-los, sejam eles o 15W40 e o 10W40.
Visto que o primeiro número identifica baixas temperaturas, o 15W garante as caracteristicas entre temperaturas de arranque a frio de -15ºC a -20ºC, enquanto o 10W, garante as caracteristicas para temperaturas de -20ºC a -25ºC.
Agora, pergunto eu, será que faz assim tanto frio na Mauritânia, no Mali, em Marrocos, etc....

O último critério, é a classificação API (American Petroleum Institute), que define o nível de aditivação do óleo.
De acordo com a sua preparação, é distinguido pelas seguintes classificações: SD a SL, e/ou para o caso dos diesel CD a CH-4. Sendo SL e CH-4 os mais performantes.
Fácilmente compreendido com o gráfico abaixo.

Imagem


Bom, agora que já vos baralhei, aproveito para mandar mais umas bocas:

:twisted: DICAS e BOCAS:
No caso de jipes antigos ou com mecânicas tradicionais, não vale a pena utilizar óleos sintéticos, o mineral serve perfeitamente, visto que são motores que foram projectados para utilizar lubrificantes com um desempenho inferior, ou como se costuma dizer, é o mesmo que alimentar um burro a pão-de-ló !!!
Se se quiser alguma protecção extra, é escolher um óleo com API SG ou SH, por exemplo, coisa que hoje em dia não é dificil !!!
No caso de um Seat Ibiza GT TDI, aconselho a utilização de um óleo sintético de alta performance para motores com turbo, no caso de um LR300Tdi, qualquer óleo mineral multigraduado 15W40 serve, também este para motores turbo.
Pegando nos mails anteriores.
Quanto aos intervalos de muda, realmente não há necessidade de os fazer aos 7500 kms certinho !! Os óleos aguentam isso e muito mais, realmente é mais uma forçinha por parte das marcas para sacar mais uns euros !!!
Na minha opinião, é tão importante a muda do óleo, como do filtro do mesmo !! E com isso já ninguém se importa !!!
A minha sugestão é a de espaçar um pouco mais as mudas de óleo, mas quando se mudar, mudar tudo (óleo e filtro) !!
Além disso, se se deixarem de mariquices com óleos sintéticos (é crime utilizar este tipo de óleos numa charanga) e até mesmo os semi-sintéticos, vão ver que a diferença "oferece-vos" o filtro de óleo !! Fantástico, não !!?!?!?
Quanto a uma mudança de tipo de óleo (mineral para semi-sintético), a coisa não é tão pacifica assim, porque senão reparem: os óleos semi-sintéticos são meio minerais, meio óleo de laboratório, com aditivos detergentes, anti-corrosão, etc.... bla-bla-bla como já foi dito acima. Ao fazer uma mudança de um óleo que limpa, lubrifica e protege q.b., passando para um óleo que limpa melhor (tipo abrasivo), protege mais (tipo cãocrodilo), é normal que em motores com mais uns anitos, se comecem a notar algumas fugas (graças ao poder abrasivo do aditivo detergente).
Se querem mudar, não mudem de óleo dois dias antes de arrancar para o Mali, porque senão, poderá acontecer ser fácil seguir-vos pelas gotinhas de óleo que deixam para trás !!! ;-))
Em termos de graduação, a 15W40 chega perfeitamente para o que andamos a fazer !!
Mistura de óleos !!! Bom, não é o ideal (por tudo o que já foi dito até aqui, e não vou repetir), mas se se estiver "à rasca" !?!

E sabem que mais, comecei de manhã e acabei agora de escrever esta lenga-lenga, já tou farto de óleos !!

Mega abração,
ALLEN :D


Topo
 Perfil  
 
Mostrar mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar Novo Tópico Responder a este Tópico  [ 1 Mensagem ] 

Os Horários são TMG [ DST ]


Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante


Criar Tópicos: Proibido
Responder Tópicos: Proibido
Editar Mensagens: Proibido
Apagar Mensagens: Proibido
Enviar anexos: Proibido

Pesquisar por:
Ir para:  
cron
Desenvolvido por phpBB® Forum Software © phpBB Group
Traduzido por phpBB Portugal